#viagem

Menos é Mais em Jaipur

Fotografando as Vibrações Locais na Índia

Menos é Mais em Jaipur

Eu sei que a melhor forma de me impulsionar e me tornar melhor como fotógrafo é fotografar, fotografar, e fotografar um pouco mais. Quando estou lá com minha câmera, coisas boas acontecem. Quanto mais fotografo mais tenho sorte e novas imagens são inevitavelmente adicionadas ao meu portfólio. 

Entre trabalhos, eu me proponho a fotografar pessoas e lugares que me inspiram. Em um trabalho recente em Dubai eu me dei a tarefa de ir para um lugar que eu sempre quis fotografar: Índia 

De Dubai havia vôos de três horas baratos para Jaipur, Índia Eu teria apenas dois dias para fotografar, mas tudo bem. Esta foi uma introdução; um aperitivo de um lugar para o qual eu sei que vou voltar. Minha missão era não ter pressa e curtir andar pela cidade com minha câmera deixando o acaso ser meu guia, sem uma agenda: fotografando por prazer.

Acredito que o lema “menos é mais” se aplica bem a mim em fotografia. Seja na simplicidade da composição e enquadramento ou no equipamento que eu carrego. Tenho muitas câmeras e lentes para escolher mas eu posso ter apenas um olho no visor de uma câmera de cada vez. Eu também sei que quanto mais meu olho está encostado no visor, mais fotos excelentes eu consigo — então levei só duas câmeras e duas lentes: Uma Nikon D4 com uma lente 85mm e uma Nikon D800E com uma lente 35mm.

Há muito tempo sou um defensor de explorar seu objeto, com o olho no visor e se movimentando de um lado a outro, mais perto, mais longe — um tipo de uma dança de composição. Eu digo a fotógrafos novatos para colocarem o zoom de suas lentes no mínimo e, ao invés de virar o anel de zoom, aproxime a imagem com seus pés e veja como o objeto muda em relação aos outros elementos dentro do quadro. Esta atenção a pequenos detalhes pode significar a diferença entre uma imagem boa e uma excelente, sendo que um pequeno ajuste na posição da câmera faz essa diferença importante. 

Eu já vi muitos fotógrafos carregados com excesso de equipamento, mais peso do que benefício. Não há uma lente que seja a melhor para todas as situações, mas uma lente pode ser boa para muitas situações e o desafio de trabalhar com limitações em relação ao seu equipamento pode melhorar suas habilidades e te ajudar a ver novas imagens.

Eu sei por experiência própria que para fazer o meu melhor, eu preciso me sentir seguro em meu novo ambiente. Eu sou novo na Índia e apesar de Jaipur ser um lugar sem dúvida mais calmo que algumas das cidades indianas maiores como Bombay, Mumbai e Calcutá; ainda é pura cor e caos. Ter alguém comigo para cuidar de mim, alguém a quem eu possa falar o que procuro e que fale a língua quando eu encontro um problema, faz uma diferença enorme. 

Eu digo a meu guia Janu que eu gostaria de passear e explorar a Cidade Rosa (the Pink City) enquanto a luz se movimentava do fim de tarde para o crepúsculo e a noite. Embora seu instinto era me levar a todos os lugares turísticos, eu simplesmente queria ver os lugares onde as pessoas moravam a trabalhavam, para sentir a vibração e aprender sobre o lugar. E foi isso que fizemos. 




Pinterest Tumblr

Steve Simon

Steve Simon: apaixonado por documentar a beleza e o drama da condição humana.
Leia Mais

Qual é a “melhor” peça do seu equipamento de fotografia?



Compartilhe Suas Histórias Instagram

Use a hashtag #HistoriasSanDisk para uma chance de ser destaque neste site.

Inscreva-se para ofertas especiais!

Receba ofertas promocionais especiais e dicas de fotografia da SanDisk.