#ao ar livre

Mush! A Corrida até Nome

69 Times de Cachorros Partem da Linha de Largada e Viajam pelo Centro de Anchorage

Mush! A Corrida até Nome

A Corrida Iditarod 2014 foi meu 34o ano de cobertura como fotógrafo oficial. O cerimonial de início foi como em qualquer outro ano. Com 69 times de cachorros saindo da linha de largada em intervalos de 2 minutos e viajando pelas 12 milhas de ruas e trilhas de bicicleta e esqui cheias de espectadores no centro de Anchorage, havia bastante atividade para fotografar.

Depois do reinício oficial no dia seguinte, os times ficaram mais espalhados durante a noite e, no início da manhã de segunda-feira, no posto de verificação de Finger Lake, 112 milhas completas das 1.000 milhas de corrida, os times chegavam e partiam em intervalos imprevisíveis.

Eu estava fora fotografando às 6:00 da manhã com uma das minhas câmeras Canon montada em um tripé para fazer exposições mais longas dos condutores dos trenós de cachorros (mushers) e voluntários com suas lanternas de cabeça sob as estrelas.

Viajei em um pequeno avião (de 4 lugares) naquele primeiro dia para o posto de verificação Rainy Pass. Apenas algumas horas depois de chegar eu estava à bordo de uma moto de neve guiada por Steve Perrins II do Rainy Pass Lodge para uma viagem de 35 milhas pela Cordilheira do Alasca.

Nós não nos apressamos enquanto viajamos por cima da cordilheira e eu fotografei vários times de cachorros nesta região esplêndida.

Uma vez do outro lado da cordilheira, a trilha piorou consideravelmente. Mudou de neve para pedra, terra, raízes e gelo. Era de longe o pior trecho de trilha que os condutores de cachorros e eu já tínhamos visto. Dirigir a moto de neve era bem difícil e por várias vezes eu caminhei para ficar mais fácil para o Steve percorrer o caminho. Eu me preparei para fotografar um time nesta área sem neve para mostrar a trilha de terra e quando um time passou eu fiquei totalmente admirado por não ver o condutor no trenó, que estava tombado para o lado. Esta foi a primeira vez que fotografei um time sem condutor. O Steve parou o time e o amarrou para o condutor.

Nós continuamos até o próximo posto de verificação, em Rohn, enquanto escureceu. Eu fotografei vários times usando exposição lenta e flash de preenchimento, com as estrelas e a lua no escuro, usando minha lanterna de cabeça para fazer um pré-foco antes deles chegarem. 

Durante os próximos 7 dias eu iria viajar com o mesmo avião pequeno e motos de neve de um posto de verificação a outro, às vezes aterrissando entre eles para capturar a rotina em Iditarod para os condutores, habitantes locais e voluntários. Eu dormi no chão de escolas locais ou de centros comunitários das vilas. Várias vezes por dia, meu assistente carregava imagens nos sites www.iditarod.com e www.iditarodsphoto.com

Finalmente em Nome, passei 5 dias fotografando os vencedores e aqueles que chegaram em último lugar, e muitos times entre um e outro.  Ter um equipamento de primeira linha no qual posso confiar, principalmente cartões SD SanDisk Extreme rápidos e de grande capacidade, é crucial para ter sucesso fazendo fotografias como estas em locais remotos.




Pinterest Tumblr

Jeff Schultz

Da Região da Baía em São Francisco para o Alasca, Jeff Schultz é especialista em fotografar áreas ao ar livre no Alasca.
Leia Mais

Qual é o seu esporte de inverno preferido?



Compartilhe Suas Histórias Instagram

Use a hashtag #HistoriasSanDisk para uma chance de ser destaque neste site.

Inscreva-se para ofertas especiais!

Receba ofertas promocionais especiais e dicas de fotografia da SanDisk.